Nosso canal no Youtube

Fisiologia Vegetal no Youtube (nossos filmes)

Apresentação

O PortalOrganizadoresPolítica de publicaçãoGlossário do PortalMapa e Funcionamento

Fundamentos de Fisiologia Vegetal

- Conhecimento em Fisiologia Vegetal (5)- Bioquímica (1)

Relações Hídricas

- Potencial hídrico (4)- Difusão, osmose, e embebição (6)- Transporte de curta distância (5)- Transporte de longa distância (6)- Artigos Científicos (3)- Questionários respondidos (2)

Fotossíntese

- Fotoquímica (5)- Bioquímica (4)- Trocas Gasosas (6)- Artigos Científicos (3)- Questionários respondidos (2)

Nutrição Mineral

- Nutrientes minerais (4)- Transporte através de biomembrana (3)- Solo e Raiz (8)- Artigos Científicos (1)- Questionários respondidos (3)

Fenologia & Arquitetura

- Teoria (1)- Artigos Científicos (6)

Nosso canal no youtube

Fisiologia Vegetal no Youtube (nossos filmes)

Online

Temos 4 visitantes online.

Artigos de - Artigos Científicos (6)

Lista de artigos
Pesquisar artigos



Composição da gema, padrão de ramificação e fenologia foliar em espécies lenhosas do Cerrado (Artigo Científico)
Downloads: 616     Tamanho: 184 kB






Síntese:

As plantas apresentam mecanismos complexos de exposição da biomassa aérea, que dependem da composição da gema, do período do ano em que a extensão do ramo ocorre, o padrão de ramificação dos ramos, a persistência da folhagem, a intensidade da herbivoria  e as condições ambientais. A influência da temperatura e a precipitação no crescimento dos ramos, na composição da gema, na fenologia foliar e suas relação com a ramificação foram avaliados durante 3 anos no Cerrado nas espécies lenhosas Bauhinia rufa (BR), Leandra lacunosa (LL) e Miconia albicans (MA). A espécie decídua BR apresentou órgãos pré-formadas em gemas e as folhas são produzidas de forma síncrona na transição da estação seca para a estação chuvosa. O tempo de expansão das folhas em BR é menor que 1 mês. Os ramos parentais (ramos de primeira ordem, ramos A1) se estenderam por 30 dias e não produziram ramos de segunda ordem (A2) em BR. Nessa espécie a expansão das gemas e das folhas ocorreu independentemente de variações de precipitação durante o ano. Por outro lado, nas espécies perenes LL e MA, a taxa de extensão do ramo e a neoformação de folhas dependeu da intensidade das chuvas. O aparecimento foliar foi contínuo por 2-6 meses e a expansão da lâmina foliar entre 1-4 meses ocorreram em LL e em MA. A vida útil das folhas foi de 5-20 meses e a extensão do ramo principal A1 aconteceu ao longo 122-177 dias. Ambas as espécies perenes alocaram biomassa para a parte aérea continuamente durante o ano e a ramificação na estação chuvosa formaram ramos de segunda ordem (A2) em MA e de terceira ordem (A3) em LL. A perda parcial de folhas nos ramos A1 facilitaria uma maior intensidade de ramificação em LL. MA apresentou uma vida mais longa da folha, produziu uma menor percentagem de ramos A2, mas apresentou uma maior persistência do meristema nos ramos A1 e A2 do que LL. Foi possível identificar diferentes padrões de crescimento aéreo nas espécies lenhosas do Cerrado definidos pelas características do padrão de ramificação, da composição da gema, da persistência do meristema apical no ramo e da fenologia folair. Esses traços são inter relacionados e devem ser considerados além da deciduidade foliar isolada para procurar grupos funcionais em espécies lenhosas do Cerrado. Pela primeira vez, uma relação entre a composição da gema, o crescimento dos ramos e a produção das folhas é encontrado em plantas lenhosas de Cerrado.