Nosso canal no Youtube

Fisiologia Vegetal no Youtube (nossos filmes)

Apresentação

O PortalOrganizadoresPolítica de publicaçãoGlossário do PortalMapa e Funcionamento

Fundamentos de Fisiologia Vegetal

- Conhecimento em Fisiologia Vegetal (5)- Bioquímica (1)

Relações Hídricas

- Potencial hídrico (4)- Difusão, osmose, e embebição (6)- Transporte de curta distância (5)- Transporte de longa distância (6)- Artigos Científicos (3)- Questionários respondidos (2)

Fotossíntese

- Fotoquímica (5)- Bioquímica (4)- Trocas Gasosas (6)- Artigos Científicos (3)- Questionários respondidos (2)

Nutrição Mineral

- Nutrientes minerais (4)- Transporte através de biomembrana (3)- Solo e Raiz (8)- Artigos Científicos (1)- Questionários respondidos (3)

Fenologia & Arquitetura

- Teoria (1)- Artigos Científicos (6)

Nosso canal no youtube

Fisiologia Vegetal no Youtube (nossos filmes)

Online

Temos 7586 visitantes online.

Artigos de - Artigos Científicos (3)

Lista de artigos
Pesquisar artigos



Comportamento sazonal do potencial hídrico e das trocas gasosas de quatro variedades de coqueiro-anão (Artigo Científico)
Downloads: 78     Tamanho: 166 kB






Síntese:

Avaliou-se o curso diurno e sazonal do potencial hídrico e das trocas gasosas foliares do coqueiro-anão (Cocos nucifera L.) sob condições de campo, no município de Ilha das Flores-SE. As quatro variedades estudadas (Anão Vermelho de Camarões - AVC, Anão Vermelho de Gramame - AVG, Anão Amarelo de Gramame - AAG e Anão Verde de Jiqui - AveJ) reduziram drasticamente a condutância estomática (gs) no período seco. Sob estiagem, os valores de transpiração (E) e fotossíntese líquida (A) foram reduzidos principalmente nas variedades AVG e AVeJ, as quais apresentaram aumento significativo nos valores de eficiência intrínseca do uso da água (A/gs), principalmente o AVeJ. Na estação chuvosa, as trocas gasosas foram condicionadas pela densidade de fluxo de fótons fotossinteticamente ativos (DFFFA) e pela gs. No entanto, durante a estação seca, as trocas gasosas foram condicionadas somente pelos valores de gs, sendo os valores de DFFFA não-limitantes desde as primeiras horas do dia. A variedade AVC apresentou pouca eficiência no controle da perda de água pela transpiração sob condições de estresse hídrico, atingindo os valores mais negativos do potencial hídrico foliar, mantendo, todavia, a fotossíntese líquida mais elevada durante o curso diurno. Por outro lado, o AVeJ controlou eficientemente a transpiração e, mesmo com menores valores de A, apresentou a maior razão A/gs que as demais variedades. Em cultivo tecnificado, como ocorre nos perímetros irrigados, a variedade AVC deverá manter um balanço de carbono mais favorável durante todo o ano, apresentando-se como uma variedade muito promissora.

 

 

Scielo:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0100-29452005000200016&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt