Nosso canal no Youtube

Fisiologia Vegetal no Youtube (nossos filmes)

Apresentação

O PortalOrganizadoresPolítica de publicaçãoGlossário do PortalMapa e Funcionamento

Fundamentos de Fisiologia Vegetal

- Conhecimento em Fisiologia Vegetal (5)- Bioquímica (1)

Relações Hídricas

- Potencial hídrico (4)- Difusão, osmose, e embebição (6)- Transporte de curta distância (5)- Transporte de longa distância (6)- Artigos Científicos (3)- Questionários respondidos (2)

Fotossíntese

- Fotoquímica (5)- Bioquímica (4)- Trocas Gasosas (6)- Artigos Científicos (3)- Questionários respondidos (2)

Nutrição Mineral

- Nutrientes minerais (4)- Transporte através de biomembrana (3)- Solo e Raiz (8)- Artigos Científicos (1)- Questionários respondidos (3)

Fenologia & Arquitetura

- Teoria (1)- Artigos Científicos (6)

Nosso canal no youtube

Fisiologia Vegetal no Youtube (nossos filmes)

Online

Temos 4 visitantes online.

Artigos de - Trocas Gasosas (6)

Lista de artigos
Pesquisar artigos



Determinação do ponto de compensação à luz em plantas terrestres pelo método colorimétrico e espectrofotométrico - (Prática)
Downloads: 590     Tamanho: 1.16 MB






Síntese:

O ponto de compensação á luz (PCL) é a intensidade luminosa na qual o seqüestro de carbono pela fotossíntese somente compensa a emissão de CO2 da folha. Portanto, o valor do PCL está relacionado com a intensidade da respiração e da fotorrespiração foliar. A gramínea Brachiaria sp não apresenta fotorrespiração devido ao seu metabolismo C4 e cresce facilmente a pleno sol mesmo em áreas urbanizadas. A mudança na coloração da solução de Ålvik por folhas de Brachiaria sp indica alteração do valor de pH em função do CO2dissolvido na solução. Quando não há iluminação suficiente para atingir o PCL a coloração original (marrom clara) é alterada para amarela em função do aumento da concentração de CO2. De forma contrária, a coloração da solução é modificada para roxa quando o seqüestro de carbono pela fotossíntese é maior que a emissão de CO2 pelo metabolismo foliar. A solução que conserva a coloração original indica a manutenção da concentração de CO2 dissolvido, pois o seqüestro e a emissão desse gás foram equivalentes na atmosfera de trabalho da folha. Alterações na solução de Ålvik determinadas no espectrofotômetro por meio de da transmitância confirmam de maneira quantitativa os resultados colorimétricos. A realização do experimento é de cerca de uma hora e meia utilizando simultaneamente os métodos colorimétrico e espectrofotométrico.